19.3.09

RELEASE "VOO"

Vôo é um espetáculo escrito e interpretado pela atriz, cantora e bailarina Luciana Bollina (Em cartaz com o Musical – Tom e Vinícius).
Vôo estreou~na cidade de São Paulo, no Teatrix, onde esteve em cartaz de Agosto a Outubro de 2007. Em Março de 2008, participou do Festival Internacional de Teatro de Curitiba com a direção de Guily e recebe agora nova montagem no Rio de Janeiro no Teatro Municipal do Jockey, agora sob a direção de Ricardo Conti.
A 1ª temporada será nos meses de Maio e Junho, com reestréia em Agosto de 2009 (Reestréia sujeita a confirmação de pauta).

A peça oferece em seu conteúdo uma viagem lúdica, filosófica e performática sobre a eterna busca pela liberdade.
Revela o percurso de transformação de uma jovem, numa linguagem teatral que faz analogia à fase de transformação da lagarta à borboleta.
A personagem se refugia em seu casulo, mas anseia poder voar. Ela se fragiliza e se fortalece encontrando em si própria o seu ponto de transformação.
Voa com liberdade rumo ao seu próprio caminho.

O Objetivo artístico deste projeto é iluminar a consciência humana através deste olhar questionador, sensível e apaixonado da mulher.
Através do incômodo da jovem personagem com relação aos limites e barreiras da sociedade e seu questionamento quanto aos rótulos do mundo material, estabelece-se uma separação entre seu mundo interno e cheio de possibilidades, e o mundo comum a todos nós.

Vôo põe em evidência os temores internos, os bloqueios externos, os hábitos de uma geração de jovens super conectada pelas tecnologias, amedrontada pela violência cotidiana e amparada por drogas e psicotrópicos utilizados como fuga e como forma de socialização.

Todo o anseio da personagem propõe em si uma conscientização do Ser e suas capacidades de transformação diante da vida, percebendo as escolhas como potencial libertador.

Ampliar a consciência nas asas da liberdade criativa - Esse é o objetivo maior do “Voo”.

Somos o que escolhemos. Esta é a verdadeira liberdade.
Ter liberdade é ter a coragem de optar.
É este o poder transformador que permite ao Ser, voar.
Ricardo Conti.

2 comentários:

Mari disse...

Ai, quero muito estar ai pra estreia =) Espero poder!!
Saudades de vcs..Grande Beijo!!

Julie Hellen disse...

lindo texto! Faz juz à beleza da peça e à sua profundidade.. traduz muito bem a mensagem do espetáculo, amei =)